Vídeos-Ecologia:

Loading...

Dicas para Poupar:

quarta-feira

Empresa desenvolve gerador de energia eólica portátil e acessível

O micro gerador eólico pode recarregar baterias e pequenos dispositivos electrónicos.

Uma tecnologia que pretende revolucionar o conceito de energia eólica já nos próximos anos. Chama-se Windbelt e, em vez de utilizar turbinas grandes e complexas, usa um pequeno mecanismo feito a partir de uma membrana vibratória, imans e uma bobina de metal.

O criador da tecnologia é o físico coreano e presidente da Humdinger Wind Energy, Shawn Frayne. Junto com os seus colegas, o engenheiro aeronáutico Jordânia McRae e engenheiro mecânico Dr. Kurt Kornbluth, ele desenvolveu o projecto que pretende simplificar e popularizar a energia eólica nos quatro cantos do mundo – especialmente nas regiões mais vulneráveis.


Tecnologia simples e barata

Tudo começou quando Frayne trabalhava no Haiti e percebeu que para fornecer energia limpa numa escala global, seria necessária uma tecnologia muito mais simples e barata do que as que já existiam. Assim, criou um gerador de energia eólica que não utiliza turbinas e é capaz de produzir um watt de eletricidade por apenas US$ 1,00.

O sistema funciona com base no fenômeno “flutter”

A geração de energia acontece a partir do fenómeno de flutter aeroelástico, ou apenas “flutter”: o gerador usa a oscilação de uma tira fina de material tensionado, preso entre duas molas, para vibrar um íman que gera energia eléctrica.

Hoje existem dois modelos do protótipo – um com cinco centímetros de comprimento e um centímetro de altura (capaz de produzir energia para pequenos aparelhos electrónicos), e outro com um metro de cumprimento e capaz de gerar de três a cinco watts (o suficiente para acender uma lâmpada LED, por exemplo).

Estes equipamentos ainda podem ser utilizados de forma agrupada. Um único painel de um metro quadrado formado por algumas unidades de Windcell poderá produzir até 100 watts, e com um custo de cerca de US$ 1 por watt.


Vantagens sobre a turbina tradicional

Por não fazer nenhum movimento brusco, ser leve, de fácil instalação e inofensivo para alguns animais, como pássaros, a tecnologia tem grande potencial para se popularizar nos grandes centros urbanos.

Seja no alto dos prédios, nas sacadas das casas ou ao longo de pontes e grandes construções, a Windbelt poderá ser uma alternativa viável para produzir energia limpa e barata nos próximos anos.